Governo Paralelo

Um dos temas mais interessantes que eu aprofundei no meu curso de Psicologia em Divinópolis foi o entendimento do paralelismo mental humano. O cérebro humano dissecado por nós alunos e alunas era estudado com a ciência de seus dois hemisférios cerebrais. Funcionando em paralelo. Cada um trabalhando em benefício do corpo e suas expressões em sentido contrário. Por uma via a mente objetiva, por outra a mente reflexiva. Em um rumo do todo para o ponto e em outro do ponto para o todo. No meio o entendimento humano. Ora, se os códigos subjetivos são apreendidos pelo cérebro ou mente em via dupla de sentido, os códigos e leis que produzimos para nosso rumo social são de igual conceito. Pelo menos em igualdade.



Divinopolitanos, há pelo menos mais de 20 anos eu apresentei para o Banco do Brasil uma tecnologia nova para a época. Foi lá no auditório do Colégio das Irmãs ao lado do Santuário. A tecnologia vinda do behaviorismo cientificava que quando mais de uma mente ou cérebro humanos se reuniam tendo o mesmo objetivo adotado por elas era formada uma mente superior, as duas ou mais mentes ou cérebros unidos de seus participantes ficavam igualmente inteligentes individualmente. Mais do que eram pessoalmente, mais inteligentes do que qualquer outro participante desse objetivo comum e igualmente superior como qualquer outro participante da criação dessa mente superior. À essa mente superior deram o nome de Master Mind.



Então, pense com ótica exata. Como se do todo para o ponto e de volta para o entendimento de todos como se pretende nesse texto. Uma pessoa integrada é harmônica em seus dois hemisférios mentais. Suas duas metades valem uma unidade inteira. Chamaremos de cidadão ou cidadã ou de x (xis) como numa equação matemática. X associado a outro x gera em somatório 2x e em progressão x vezes x ou x2 (xis ao quadrado). Ora, a inteligência da relação é clara: crescimento em progressão. Entretanto, quando a estupidez conduz associações humanas inclusive, temos a seguinte equação: 1/2x vezes 1/2x se em progressão e 1x em somatório. Note que a inteligência do somatório das mentes diminui, pois 1/2x ao quadrado é igual a 1/4x.



Entende-se, então, que mentes estúpidas mesmo associadas em grandes corporações, congressos, parlamentos e produzindo através de suas marcas e projetos e programas Master Minds poderosos sobre nós, ainda assim, serão mais estúpidos do que a inteligência de seus próprios criadores.



Os cidadãos expostos às pressões da dominação sofrem os efeitos dos sistemas que fragmentam, isolam e universalizam perdendo-se em perdas de suas mais valias tanto no material, quanto no conhecimento do conceito, sub faturando mentes e cérebros, tanto na oferta de serviços de saúde pública de baixa qualidade, quanto abrigando máfias e milícias impedidoras de acessos e do entendimento da realidade de nossas vidas. Ele, cidadão ou, ela, cidadã seguem rumo inverso ao Master Mind coletivo da cidade, onde o indivíduo fica com sua mente inferiorizada por justamente estar inserido na mente superior do município dominado pelos sistemas em questão. O indivíduo ignorante aos fatos é isolado e enfraquecido pelo Estado.



Divinópolis! Quando pensamos em como começar verdadeiramente um caminho de vida para o município temos que pensar no caminho de cada cidadão que somos. Individualmente. Estando nós ou eu ou você submissos ao capitalismo temos que pensar no dinheiro, no recurso para esse fim. O objetivo final de felicidade e riqueza que se quer ter da terra da fortuna e glória simbolicamente idealizada por ideologias que a confirmam em nosso inconsciente coletivo que nos afeta individualmente. A mente humana seja ela infantil ou velha de sabedorias ou apenas de um cidadão ou cidadã normais. Indivíduos que precisam alimento material em formas diversas e recebem isso pelos empregos, poupanças, prêmios, empreendedorismo e mais.



O município também vive o caminho do dinheiro através do orçamento municipal que financia o ano em curso. Existe uma grade de realizações materiais baseadas no valor disponível dos recursos do município e no valor subjetivo virtual idealizado pelos projetos e programas legalizados por decreto municipal. Dimensões unidas em paralelo numa rota de encontro ao valor oficial do orçamento do município que se baseia nos recolhimentos de impostos diretos e nas participações no recolhimento de impostos do estado e da União. Um caixa simbólico para a cidade Divinópolis em área urbana e rural. Um montante dado ao administrador público gerenciar o fluxo desses pagamentos de projetos e programas aprovados por lei. Dinheiro.