De volta a São Paulo meu irmão convidou-me a trabalhar na clínica de terceira idade da esposa de seu patrão pertencente ao grupo argentino no qual era representante comercial. Eu ainda estudante havia desenvolvido a teoria do uso das áreas de associação cerebral para a busca da cura do Mal de Alzheimer e trabalhei na clínica com esse propósito com estímulos sensoriais e musicalização, buscando a transferência das áreas de ação mental lesadas para novas áreas de ação em ambiente associativo. As áreas de associação são áreas de transferência de estímulos, não acumulam dados e por esse motivo utilizava-as para esse fim nos pacientes em terapia. Tempos depois pude melhorar minhas pesquisas e entender melhor o tema.

código 422

Depoimento-Parte-2

© cleberalcasar@sistemamae.com.br - DRT 0015728/SP